Páginas

domingo, 2 de maio de 2010

Como Se Arrepender (parte final) - James MacDolnald

Quando arrependimento é muito difícil

Há duas categorias de pecado em que arrependimento e restituição são muito difíceis. A primeira é oportunidade desperdiçada. Você joga fora uma oportunidade; como se arrepende disso? Uma garota teve um aborto. Como pode consertar isso? Um homem divorciou-se de modo não-bíblico. Agora sua primeira esposa já está casada com outro. Como se arrepende disso?

Um casal tinha três filhos; o marido e a mulher trabalhavam fora. Eram ricos e muito ocupados. Seus filhos tinham tudo, menos os pais. Agora, depois de adultos, os filhos não querem nada com Deus. Como se arrepende disso? É muito difícil arrepender-se de oportunidades desperdiçadas.

A segunda categoria é de prazeres consumidos. É extremamente difícil arrepender-se de um prazer consumido: uma explosão de raiva, uma bebedeira, um envolvimento homossexual, contemplação particular de pornografia, hábitos de glutonaria, uma forte compulsão, uma procura consciente, uma escolha deliberada, um prazer consumido.

“Estou dizendo que sinto muito, Deus. Acho que estou arrependido. Quero estar arrependido, mas sempre faço novamente.” Veja Esaú (Hb 12.16-17). Ele não encontrou o arrependimento, apesar de tê-lo buscado diligentemente com lágrimas. Por quê? Ele era uma pessoa profana. Vendeu seu direito de primogênito por um prato de comida. Pecou contra a verdade, e isso ao ponto de não se importar mais.

Você pergunta: “Pode ser tarde demais para uma pessoa?” Sim. O Espírito de Deus não contenderá para sempre com todos os homens (Gn 6.3). “É tarde demais para mim?” Se você ainda se importa, então não é. Esaú não conseguia mais se importar. Só se importava consigo mesmo. Às vezes a restituição é muito difícil. Como se faz restituição por uma oportunidade perdida? Como se faz restituição por um prazer consumido? É por isso que o pecado é tão sério.

Graças a Deus, há boas novas também. Um quarto sinal de verdadeiro arrependimento é renovação para com Deus. Paulo diz em 2 Coríntios 7.11, “...que temor”. Temor é a atitude do coração que busca um relacionamento correto com aquele a quem se teme. “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria” (Sl 111.10). Quando você vive em um estado de não arrependimento, você não teme a Deus. Você faz o que quer. Mas quando se arrepende, você tem esse temor em sua vida, temor de estar em um relacionamento errado com Deus, de perder seu favor, de fazer algo para descrédito de seu nome, ou de perder sua bênção. É doloroso lidar com desapontamento e injustiça, mas eu preferiria sofrer a injustiça do que exercer a vingança por mim mesmo, porque temo a Deus.

Paulo diz “que temor, que saudades, que zelo”. Isso é avivamento, renovação! E veio do arrependimento. Zelo é uma paixão central pelas coisas do Senhor, um renovado interesse após um período de indiferença ou declínio, é experimentar e desfrutar mais de Deus em minha vida. É ser renovado para com Deus!

A característica final de arrependimento genuíno é prosseguir adiante, não olhar para trás. Note o que diz em 2 Coríntios 7.9: “...de nossa parte, nenhum dano sofrêsseis”. Paulo está dizendo que não estava desperdiçando o tempo deles. Não estava falando de algum ponto trivial que não tem a ver com o melhor de Deus para suas vidas. Pelo contrário, se você levar a sério esse processo de arrependimento, sua vida alcançará níveis mais altos.

E depois note no versículo 10: “Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar”. Se a tristeza segundo Deus produz arrependimento sem pesar, o que a tristeza segundo o mundo produz? Pesar. Você sabe que seu arrependimento não é genuíno se está se perguntando: “Por que sou assim?”. Arrependimento é não pensar mais sobre o passado. Arrependimento é uma experiência que muda a vida. Arrependimento é “que Deus me ajude pelo resto de minha vida. Vai ser diferente agora e nada irá me impedir”.

Até que ponto você está levando a santidade a sério? Não faça provisão para a carne. Nenhuma! O fato mais impressionante sobre o arrependimento é que ele produz tristeza genuína. Tristeza do mundo produz lamento e pesar. Tristeza genuína, segundo Deus é olhar para frente para aquilo que a partir de agora serei. “Eu posso ser diferente, posso ser mudado, posso ser renovado – se eu me arrepender...”

Tratando com pecados específicos

Senhor, sonda-me. Será que sou culpado de ira... ansiedade... contenda... vícios... intolerância... amargura... pretensão... dissensão... vaidade... desejo de dominar... excesso de emotividade... temor da opinião de outros... cobiça... língua crítica... engano... depressão... insensibilidade aos outros... dependência de drogas... alcoolismo... inveja... falsa modéstia... medo... sentimento de rejeição... sentimento de incapacidade... sentimento de inferioridade... glutonaria... ganância... falsa culpa... ódio... hostilidade... luxúria homossexual... idolatria... impaciência... impulsividade... pensamentos impuros... indiferença com outros... insegurança... intemperança... ciúme... preguiça... isolamento dos outros... desejos carnais por prazer... materialismo... negativismo... envolvimento em ocultismo... teimosia... hipersensibilidade a outros... passividade... preconceito... profanidade... transferência de culpa... disposição a fofoca... rebeldia a autoridade... ressentimento... inquietação... tristeza prolongada (inconsolável)... egocentrismo... autoindulgência... autojustificação... autopiedade... autoconfiança... justiça própria... autossuficiência... sensualidade... luxúria... falta de perdão... inflexibilidade... pavio curto... falta de amor... soberba... omissão... excesso de trabalho?

Convido você a pensar sobre esses pecados específicos. Senhor, queime o nosso coração sobre essas coisas. Sou culpado? Sou assim? Deus, tu podes quebrantar meu coração com relação a isso? Podes dar-me fé para acreditar que honras o arrependimento genuíno a ponto de transformar-me? Posso quebrar o ciclo de pecar, confessar, pecar, confessar – que me prendeu por tanto tempo? Podes por teu Espírito remover por completo as racionalizações que me mantiveram amarrado neste lugar? Perdoa-me, Senhor, por ter me comparado com outros quando só tu és o padrão. Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos! Toda a terra está cheia da tua glória!


Fonte: O Arauto da Sua Vinda, Ano 27 nº 1 - Janeiro/Fevereiro 2009

Um comentário:

  1. A paz do Senhor irmão .
    Eu aprendi com esse seu site , porque muitas das vezes eu ficava pecando .
    Mais naquela hora o espirito santo , já tocava me coração , e eu me sentia triste !
    Mais mesmo assim, muita das vezes eu mesmo feliz
    triste, alegre eu dou gloria a Deus .
    Pois lembro da Historia de jó, apesar de tudo q ele passo , ele sempre foi fiel a Deus .
    Apesar de tudo q aconteceu com ele , ele sempre estava adorando e glorificando o santo nome do Senhor .
    Mesmo ele perdendo filhos, terras , plantações , riquezas e saudades , ele olhar creio eu, para o céu e falava , gloria a Deus , alelulia Senhor .
    Quantas das vezes irmão, temos saúde , temos braços pernas . E ficamos murmurando pelo o que anda acontecendo. E essas pessoas que nao tem essas partes do corpo , gloricanda o santo nome do Senhor .
    E nos ficamos olhando para nossos problemas , mais nosso Deus é mais do que nossos problemas.
    Quanta das vezes deixamos de agradece pelo dia de hoje .
    Quanta das vezes deixamos de olhar para Deus , para fica prestando atenção no Mundo !

    ResponderExcluir