Páginas

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Um Pregador (parte 2) - Um Pregador Com Sua Bíblia - Darrin Pratrick*


Preparação da Pregação

Muito pregadores que treinei querem responder essas perguntas:

* Por que minha pregação não melhora?

* Por que estou lutando para desenvolver minha “voz” de pregação?

* Por que as pessoas estão caindo de sono enquanto prego?

Uma das respostas para essas perguntas pode ser a de ter perguntar com quanta frequência eles pregam – eles precisam de mais pregações “representativas”. Mas o que fazer até então? Você precisa preparar a pregação. Você precisa ser pregado todos os dias por sua Bíblia. Peyton Manning não apenas ama jogar futebol americano. Ele ama o futebol. Quando ele era jovem ele dormia com a bola de futebol em seus braços. Ele sabia como seus dedos ficariam ao redor da costura. Ele conhecia cada contorno da bola. Um pregador não pode apenas amar pregar, ele tem de amar a Bíblia. Uma boa preparação que leva a uma pregação efetiva começa com permitir o exame da Escritura, falar, e pregar para nós.


Acentuado na Bíblia

Minha preparação de sermão começa comigo, uma xícara de café e minha Bíblia. Somente o café é opcional. Enquanto eu conheço bem a minha Bíblia o suficiente para ter uma opção em dar o significado do texto e como caberá na história geral da Bíblia. Eu gosto de focar e orar por meio de palavras e frases especifica na passagem. Isso me ajuda “acentuar”, ou penetrar tanto no texto que posso deparar-me com Deus através do texto. Essa “acentuação” ou penetração também faz uma associação de outras coisas. Isso me permite ver o contexto da passagem claramente. Pense em um suculento hambúrguer. O bife é a palavra, frase, ou verso que você escolheu para meditar. Tudo ao redor do bife é o contexto – ketchup, picles, queijo e pão. A menos que você esteja no Atkins diet, você não consume a vaca sem o pão e condimentos. Da mesma forma, você não tira a palavra, frase ou verso aparte do seu contexto.


Meditação no Texto

Meditar no texto me permite trazer uma pequena história da passagem para a grande história das Escrituras. Isso me ajuda a pregar o verso ou passagem especifica com uma visão do grande contexto da Escritura. Aqui estão algumas perguntas pelas quais penso que me ajudam a alcançar isso:

* Qual é o capítulo da passagem? Que contexto imediato está circulando essa passagem que a faz única na Escritura? Muitas vezes a passagem é uma reiteração de argumento prévio, mas procure o porquê o autor escolheu enfatizar essa mensagem particular novamente em sua passagem.

* Em que livro se encontra a passagem? Relembre o tema do livro que você está estudando, e se você não sabe o tema principal ou propósito do livro, faça algumas pesquisas.

* Quem é o autor? Pense sobre o que de único esse autor em particular trás para a Bíblia. O autor estava comunicando a quem? O que era único sobre sua audiência – perspectiva religiosa, estado social, necessidades sentidas, etc...

* Onde essa passagem se encaixa melhor na história geral do arco da Bíblia? A passagem funciona primariamente como revelação de quem Deus é, sobre a habilidade de criar de Deus, sobre a realidade e morte do pecado humano e rebelião, sobre o poder redentor de Deus em Cristo, ou sobre a restauração da criação e dos filhos de Deus?

* Onde está Jesus no texto? O que o texto comunica da pessoa e propósito de Jesus? Como essa passagem expõe o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo?

Comece a conhecer sua Bíblia e seja pregado, pregue como homem.



*Darrin Patrick é o vice presidente do Act29 e pastor líder do The Journey. Seu Re:Lit book é chamado Church Planter: The Man, The Message and The Mission.


Fonte: The Resurgence

Tradução: Wallace Phelipe C. Alves


Primeira parte

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Um Pregador (parte 1) - Um Pregador Com Seu Deus - Darrin Patrick *


Você foi feito para pregar. Mas antes disso, antes de preparar e de entregar, você foi feito para se relacionar com Deus. Você não tem que ser um monástico místico ou um grande erudito. Você pode ser um que experimenta Deus em seu coração e O ama com sua mente.

Um Pregador Com Seu Deus

Fazer sua alma feliz no Senhor

Eu sempre lutei com a oração como um cristão. Um dia estava compartilhando minha frustração com meu professor do seminário e guru de disciplina espiritual Don Whitney. O Dr. Whitney compartilhou uma citação de George Muller, um piedoso gigante da fé que também lutou com a oração. Esse é uma anotação do Diário de George Muller, datado em 7 de Maio de 1841.

“Eu vi mais claramente do que nunca que a primeira grande ocupação que eu deveria atentar todo dia era ter minha alma feliz no Senhor... não o quanto posso servir ao Senhor,... mas como devo deixar minha alma em um estado de alegria, e como meu homem interior pode ser alimentado. Para poder procurar colocar a verdade diante do não convertido, e poder procurar beneficiar os crentes... e ainda, não ser feliz no Senhor, e não ser alimentado e fortalecido no meu homem interior todo dia, tudo isso não deve estar ocupando um espírito reto. Antes desse tempo tem sido... entregar-me a oração depois de ter me vestido na manhã. Agora, eu vi que a coisa mais importante que tive que fazer foi me entregar a leitura da Palavra de Deus, e a meditação dela, que assim meu coração pôde ser confortado, encorajado, advertido, reprovado, instruído; e que assim, por meio da Palavra de Deus, enquanto medito nela, meu coração pôde ser trazido a comunhão experimental com o Senhor.”

Whitney chamou atenção que George Muller se destacou em oração somente depois de ter meditado nas Escrituras, que “deixa sua alma feliz” foi alcançado através da meditação, que permitiu comunhão com Deus através da oração. Eu me tornei totalmente convencido desse método e tenho procurado praticar isso desde então.

O que significa meditar nas Escrituras?

A palavra do grego para meditar significa “atentar”. Meditar é ler com atenção o que o verso está dizendo e então procurar entender o verso no seu contexto. As palavras do hebraico para meditar são hagah, que significa refletir ou imaginar (Josué 1.8; Salmo 1.2), e siyach, que significa conversar consigo, orar (Salmo 119.15). Então meditação é quando prestamos atenção a Palavra Deus, entendendo-a em relação ao seu contexto. Isto envolve refletir na Palavra de Deus, fazendo algumas perguntas sobre a aplicação dessa verdade, falando a verdade a si mesmo, e usando a Palavra Deus em oração ao próprio Deus. A seguir está uma meditação simples seguindo essas diretrizes.

Meditação simples

“O Senhor é o meu Pastor; nada me faltará” (Salmo 23.1).

* O que significa que Deus é o meu Senhor? Do que ele é Senhor?

* No que ele quer me pastorear agora?

* Qual é a minha necessidade?

* Deus, de que maneira você está provendo para mim que eu não estou nem mesmo ciente?

“É na meditação que o coração segura e se apropria da Palavra... O intelecto junta e prepara a comida da qual vamos no alimentar. Na meditação o coração assimila e alimenta-se” (Andrew Murray). Meditação não é apenas orar, nem mesmo é meramente ler as Escrituras. Meditação é a leitura orável das Escrituras, é pegar a Palavra de Deus e torná-la em uma oração a Deus.


* Darrin Patrick é o vice presidente do Act29 e pastor líder do The Journey. Seu Re:Lit book é chamado Church Planter: The Man, The Message and The Mission.


___________________________________________________________________________________


Fonte: The Resurgence. Website: theresurgence.com

Tradução: Wallace Phelipe C. Alves Website: pheliprey.blogspot.com

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

O Evangelho Muda Tudo - Scott Thomas


O evangelho é o poder de Deus para a salvação, e infelizmente muitas igrejas estão envergonhadas de proclamá-lo (Rom 1:16). Como resultado nós podemos não está experimentando o fruto da transformação em nossas igrejas que normalmente está associada com o evangelho (Col. 1:4-6; 2 Pedro 1:3-9). A transformação é mais freqüentemente encontrada em companhia da proclamação do evangelho.

O evangelho pode ser (cautelosamente) sumarizado das seguintes maneiras: Deus enviou seu Filho, Jesus Cristo, para viver nossa vida, morrer nossa morte e se ressuscitou triunfantemente para reunir pecadores perdoados pelo Espírito Santo para viverem como pessoas do seu Reino debaixo de seu reinado de graça.

O foco do evangelho não está na incapacidade da humanidade (incluindo a transformação), mas na glória de Deus. Eu sou transformado quando vivo em linha com o evangelho (Gal. 2:14), evitando tanto o legalismo quanto o licencionismo, e dedicando-me a felicidade encontrada na completa e total entrega de minha vida injusta em troca de sua vida justa expressa graciosamente através de muitos aspectos de minha caminhada cristã (Gal. 2:20).

O evangelho é o que nos faz justos para com Deus (justificação) e também é o que nos liberta para deleitarmos em Deus (santificação). O evangelho muda tudo!

Como o evangelho muda tudo?

Isso é encontrado simplesmente na, não tão simples, frase de J.I. Packer, “Deus salva pecadores”.

Deus

“Deus – o Jeová Triuno, Pai, Filho e Espírito Santo; três Pessoas trabalhando juntas em soberana sabedoria, poder e amor obtêm a salvação da pessoa escolhida, o Pai elege, o Filho consuma a vontade do Pai pela redenção, o Espírito executa o propósito do Pai e do Filho pela renovação.”

Salva

“Salva – tudo, do começo ao fim, que está envolvido em trazer o homem da morte em pecado para vida em glória: planos, êxito e redenção comunicada, e chama e mantêm, justifica, santifica, glorifica. Pecadores não salvam a si próprios em qualquer sentido no todo. Salvação é, do primeiro ao último, completa e inteiramente, passado, presente e futuro, do Senhor, aquém seja a glória para sempre; amém.”

Pecadores

“Pecadores – quando nascemos, estamos mortos, condenados, depravados, corruptos, perversos, pecaminosos e completamente descapacitados para salvar ou mesmo levantar um dedo para possibilitar a salvação (Rom. 2-3; 6:23). Esse vil pecador nem mesmo sabe que está morto. A lei de Deus expõe a extensão de nossa maldade (Gal. 3:24).”

A graça de Deus se estende até nós, não porque a merecemos, mas mesmo que não a merecemos (Rom. 5:8). Nossas obras, mesmo tentar as boas obras não é adequado para contribuir para nossa salvação ou santificação. Uma vez que o Espírito regenera nossa alma morta, nós pela fé recebemos a obra completa de Jesus que realiza nossa santificação – uma declaração de sua justiça em nós. Como sua graça continua a trabalhar em nossas vidas, o evangelho vem para frutificação (Col. 1:6; 2 Pedro 1:3-9) em todo aspecto de nossa vida.


______________________________________________________


Fonte: The Resurgence. Website: theresurgence.com

Tradução: Wallace Phelipe C. Alves Website: pheliprey.blogspot.com

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Cristianismo Missional - parte 2


Por Phelipe

Em segundo lugar, ser um cristão missional significa QUERER GLORIFICAR A DEUS.

A razão de muitas pessoas em nossas igrejas estarem paradas na questão de compartilharem sua fé em Jesus, é que muitos não estão preocupados em glorificar a Deus em todos os lugares por meio de seus testemunhos. Como o pastor Paul Wsher certa vez disse, "o problema não é a falta de zelo por missões, o problema é muito maior, é a falta de zelo por Deus e pela glória de Deus".

Veja essa grande promessa das Escrituras, que se encontra em Malaquias 1:11 - "Mas desde o nascente do sol até ao poente será grande entre as nações o meu nome; e em todo o lugar se oferecerá ao meu nome incenso e uma oblação pura; porque o meu nome será grande entres as nações, diz o Senhor dos Exércitos." Deus está levando o Seu nome entre todas as nações para se engrandecido, mesmo sem a nossa ajuda pois Ele é soberano, mas Ele nos convida a participar do cumprimento dessa promessa.

Acredite o principal propósito de Deus não é fazer missão, mas é o de glorificar Seu Grande Nome em toda a terra. Só há missões porque não há louvor. E a igreja deve se preocupar em louvar a Deus e levar outros a fazerem o mesmo, mas infelizmente não é assim que acontece em muitos lugares.

Charles Misner, cientista físico, disse sobre Eisntein - "O desenho do Universo... é magnificente e não deve ser tratado com leviandade. De fato, creio que por isso Eisntein não se importava com uma religião organizada, apesar do fato dele parecer ser um homem muito religioso. Ele deve ter olhado para aquilo que o pregador falava sobre Deus e ter sentido que estavam blasfemando. Ele tinha visto muito mais majestade que os pregadores tinha imaginado, e eles simplismente não estavam se referindo a mesma coisa. Imagino que ele simplesmente sentia que as religiões com as quais tinha contado não demonstravam o respeito devido ... pelo autor do Universo."

Então fico me perguntando, será que não somos pessoas que viram o grande esplendor da glória de Deus revelada na pessoa do Senhor Jesus e sua obra para sua glória e nossa salvação? Por que então é que muitas vezes agimos como se não O houvéssemos conhecido, tão pouco queremos que Seu nome seja grande entre as nações, e fazendo as palavras desse cientista a respeito do relacionamento de Einstein com a religião ser tão verdadeira em nossos dias.

Fazer grande o Nome do Senhor entre as nações, significa levar o conhecimento de Deus aos ouvidos de todas as pessoas para seja criada fé neles e ele com arrependimento voltem a Deus. (Como foi falado na primeira parte dessa série), fazer missões não significa enviar missionários, mas enviar o conhecimento de Deus aos perdidos.

O pastor Paul Washer certa vez contou que estava no Peru, onde plantou várias igrejas, e um jovem rapaz o ligou lhe dizendo que queria entregar sua vida no Peru, então o pastor lhe indagando a respeito de seus estudos bíblicos, seu tempo diário diante da Palavra de Deus, algo a respeito dos atributos de Deus, mas a resposta a todas as perguntas foram "bom irmão, isso não é o meu forte. Eu só quero entregar minha vida no Peru", a resposta do irmão Paul Washer foi, "Jovem ninguém aqui no Peru precisa de sua vida, ele precisam do conhecimento de Deus".

Missões sem amor aos perdidos não dá, missões sem querer glorificar a Deus é impossível! a não ser para criar um monte de crentes de "bancos" de igreja. Precisamos fazer tudo para a glória de Deus.

Que cada um de nós se entregue ao estudo dos atributos de Deus, a pregação do Evangelho, a oração para a Glória de Deus e salvação dos que estão perecendo em seus pecados.

Continua...








Fonte:

Paul Washer - vídeo "Jesus Cristo é Tudo"

John Piper no artigo "A Supremacia de Deus em Missões pelo Louvor", artigo publicado em Mission Frontier v. 18, nº 5-8

Paul Washer - sermão "Give Your Life Away"

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Citação - Antônio Gilberto

"A Bíblia é a revelação de Deus à humanidade. Tudo o que Deus tem para o homem e requer do homem, e tudo o que o homem precisa saber espiritualmente a parte de Deus quanto à sua redenção, conduta cristã, felicidade eterna, está revelado na Bíblia. Deus não tem outra revelação escrita além da Bíblia. Tudo o que o homem tem a fazer é tomar o livro e apropriar-se dele pela fé. O autor da Bíblia é Deus, seu real interprete é o Espírito Santo, e o tema central é o Senhor Jesus Cristo. O homem deve ter a Bíblia para ser sábio, crer na Bíblia para ser salvo, e praticar a Bíblia para ser santo."