Páginas

sábado, 4 de dezembro de 2010

Cristianismo Missional - parte 2


Por Phelipe

Em segundo lugar, ser um cristão missional significa QUERER GLORIFICAR A DEUS.

A razão de muitas pessoas em nossas igrejas estarem paradas na questão de compartilharem sua fé em Jesus, é que muitos não estão preocupados em glorificar a Deus em todos os lugares por meio de seus testemunhos. Como o pastor Paul Wsher certa vez disse, "o problema não é a falta de zelo por missões, o problema é muito maior, é a falta de zelo por Deus e pela glória de Deus".

Veja essa grande promessa das Escrituras, que se encontra em Malaquias 1:11 - "Mas desde o nascente do sol até ao poente será grande entre as nações o meu nome; e em todo o lugar se oferecerá ao meu nome incenso e uma oblação pura; porque o meu nome será grande entres as nações, diz o Senhor dos Exércitos." Deus está levando o Seu nome entre todas as nações para se engrandecido, mesmo sem a nossa ajuda pois Ele é soberano, mas Ele nos convida a participar do cumprimento dessa promessa.

Acredite o principal propósito de Deus não é fazer missão, mas é o de glorificar Seu Grande Nome em toda a terra. Só há missões porque não há louvor. E a igreja deve se preocupar em louvar a Deus e levar outros a fazerem o mesmo, mas infelizmente não é assim que acontece em muitos lugares.

Charles Misner, cientista físico, disse sobre Eisntein - "O desenho do Universo... é magnificente e não deve ser tratado com leviandade. De fato, creio que por isso Eisntein não se importava com uma religião organizada, apesar do fato dele parecer ser um homem muito religioso. Ele deve ter olhado para aquilo que o pregador falava sobre Deus e ter sentido que estavam blasfemando. Ele tinha visto muito mais majestade que os pregadores tinha imaginado, e eles simplismente não estavam se referindo a mesma coisa. Imagino que ele simplesmente sentia que as religiões com as quais tinha contado não demonstravam o respeito devido ... pelo autor do Universo."

Então fico me perguntando, será que não somos pessoas que viram o grande esplendor da glória de Deus revelada na pessoa do Senhor Jesus e sua obra para sua glória e nossa salvação? Por que então é que muitas vezes agimos como se não O houvéssemos conhecido, tão pouco queremos que Seu nome seja grande entre as nações, e fazendo as palavras desse cientista a respeito do relacionamento de Einstein com a religião ser tão verdadeira em nossos dias.

Fazer grande o Nome do Senhor entre as nações, significa levar o conhecimento de Deus aos ouvidos de todas as pessoas para seja criada fé neles e ele com arrependimento voltem a Deus. (Como foi falado na primeira parte dessa série), fazer missões não significa enviar missionários, mas enviar o conhecimento de Deus aos perdidos.

O pastor Paul Washer certa vez contou que estava no Peru, onde plantou várias igrejas, e um jovem rapaz o ligou lhe dizendo que queria entregar sua vida no Peru, então o pastor lhe indagando a respeito de seus estudos bíblicos, seu tempo diário diante da Palavra de Deus, algo a respeito dos atributos de Deus, mas a resposta a todas as perguntas foram "bom irmão, isso não é o meu forte. Eu só quero entregar minha vida no Peru", a resposta do irmão Paul Washer foi, "Jovem ninguém aqui no Peru precisa de sua vida, ele precisam do conhecimento de Deus".

Missões sem amor aos perdidos não dá, missões sem querer glorificar a Deus é impossível! a não ser para criar um monte de crentes de "bancos" de igreja. Precisamos fazer tudo para a glória de Deus.

Que cada um de nós se entregue ao estudo dos atributos de Deus, a pregação do Evangelho, a oração para a Glória de Deus e salvação dos que estão perecendo em seus pecados.

Continua...








Fonte:

Paul Washer - vídeo "Jesus Cristo é Tudo"

John Piper no artigo "A Supremacia de Deus em Missões pelo Louvor", artigo publicado em Mission Frontier v. 18, nº 5-8

Paul Washer - sermão "Give Your Life Away"

Nenhum comentário:

Postar um comentário