Páginas

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Um Pregador (parte 3) - Um Pregador Com Suas Notas 1 - Darrin Patrick


Formando Sermões

Estilos de Pregação

Em seminários e conversas com outros pregadores, parece que todos que falam comigo sobre pregação me perguntam a mesma coisa: Você é um contador de histórias ou um exegeta? Você é topical ou exposital? Você prega narrativamente ou proposicionalmente? Minha resposta a essas perguntas é “Sim, e amém!” A Bíblia nos mostra todas essas coisas. A Bíblia tem maravilhosas, histórias bem elaboradas, mas às vezes simplesmente reporta fatos e proposições. Os autores bíblicos ensinam uma variedade de tópicos e eles freqüentemente fazem tão adiante ponto por ponto através de outros textos. Algumas passagens tomam giros e dão voltas do que você espera, usando metáforas e simbolismos, enquanto outras passagens focam mandamentos claros e imperativos. Por isso as Escrituras contêm vários tipos de sermões e vários gêneros literários, não há maneiras prescritas para se pregar um texto. Se você está indo pregar leia a Bíblia, logo nós temos que elaborar e comunicar nossas mensagens das mais variadas maneiras.


Medindo Sermões

Minha abordagem para a pregação é como desenrolar um tapete. Quando me mudei primeiro para St. Louis, eu desenrolei o tapete como um pastor bi-vocacional. Desenrolar tapete requer vários passos. Primeiro, o tapete deve ser medido e cortado para fazê-lo caber exatamente no espaço. Contudo o tapete deve ser esticado para que ele não fique enrugado uma vez que esteja no chão. E finalmente, o bom “desenrolador” de tapete aprende como esconder as costuras para que você não veja pedaços individuais metidos juntos lado a lado, mas em vez disso, ver o chão coberto pelo o que parece como um único pedaço de tapete.

Nós “medimos” nossos sermões por fazer uma erudição excelente em nossa preparação. Nós aprendemos os parâmetros de um texto e formamos nossos pensamentos na estrutura do texto. Nós recobramos os pontos principais do nosso texto e o permitimos guiar nosso sermão. Nós “esticamos” nossos sermões por cobrir os pontos mais importantes do texto. Nós pedimos ao Espírito Santo nos ajudar a discernir quais pontos deixar e quais deixar para um outro sermão. Por último, nós comunicamos as verdades do texto de uma forma que “alise as rugas”, permitindo as pessoas a aplicarem as verdades da Escritura de uma forma que segure a forma pretendida do autor.


Escondendo as Costuras

Nós escondemos as costuras por ensinar verdades bíblicas de uma maneira que é compreensível e “pareça” linear, mesmo se o texto em si não seja necessariamente linear na sua progressão de pensamentos. De forma semelhante, porque a Bíblia é uma singular, grande história, contendo pequenas histórias, nós podemos fazer qualquer texto “parecer” narrativo. Os sermões devem ter uma progressão lógica se é para serem entendido. E muitos sermões devem entrelaçar a pequena história do texto à grande história da Bíblia. Quando os sermões “parecem” lineares e narrativos, eles alcançam uma extensa variedade de pessoas, do artista ao engenheiro.


Fonte: The Resurgence

Tradução: Wallace Phelipe C. Alves



Primeira parte

Segunda Parte

Nenhum comentário:

Postar um comentário