Páginas

segunda-feira, 11 de abril de 2011

O Que É Adoração? - Mark Driscoll


Adoração, corretamente entendida, começa com a doutrina da Trindade e a doutrina da Imagem. No seu magnífico livro sobre adoração, Harold Best descreve a Trindade como a Continua Vertente Exclusiva que continuamente derrama-se entre as pessoas da Trindade em incessante comunicação, amor, amizade e alegria. Segue-se que os humanos criados a imagem de Deus também seriam incessantes adoradores com vertentes contínuos. Best diz,

Nós fomos criados vertendo continuamente. Note que eu não disse que fomos criados para ser vertentes contínuos*. Nem posso dizer que fomos criados para adorar. Isso sugeriria que Deus é uma pessoa incompleta cujo necessita de algo fora de Si mesmo (adoração) para completar Seu próprio sentido. Pode até mesmo não ser seguro dizer que fomos criados para adorar, porque a inferência pode ser sacada de que a adoração é uma capacidade que pode ser separada e eventualmente relegada a uma das varias categorias do ser. Eu acredito que é estrategicamente importante, portanto, dizer que formos criados vertendo continuamente, fomos criados nessa condição, naquele instante, Imago Dei.


Adoração é a essência de quem somos

Na verdade, a adoração não é apenas um aspecto de nosso ser, mas a essência do nosso ser como portadores da imagem de Deus. Como resultado, tudo na vida é adoração incessante. Na prática, isso significa que, embora a adoração inclua a reunião corporativa da igreja, entoando canções e formas litúrgicas, não é limitado por essas coisas, definido apenas como essas coisas, ou expresso apenas nessas coisas, porque adoração nunca pára. Na verdade, estamos continuamente nos dando ou nos derramando por uma pessoa, causa, experiência, desempenho ou status. Infelizmente, como a doutrina da queda revela, muito de como nos vertemos e o que nos vertemos na adoração é alguém ou alguma coisa que não seja o Deus Criador Trinitário.


Estamos sempre adorando

Como a doutrina da imagem revela, os seres humanos são incessantes adoradores. Nós não fomos criados para adorar, mas somos criados adorando. Todos adoram o tempo todo. Ateus, agnósticos, cristãos e todos entre eles são incessantes adoradores. Todos, em todos os lugares, o tempo todo, estão sempre adorando. Enquanto o objeto e o método de adoração variam, o ato de adoração não.


Adoração é contínua

Best sintetiza seus pensamentos sobre adoração dizendo: “Eu trabalhei na definição para adoração que acredito cobrir todas as condições humanas possíveis. É essa: a adoração é a vertente contínua de tudo o que sou, tudo o que faço e tudo que posso até me tornar em função da escolha ou a escolha de deus”.

Uma das seções mais perspicaz das Escrituras sobre adoração é Hebreus 13:15-17, que diz:

Através dele, então vamos continuar a oferecer um sacrifício de louvor a Deus, isto é, o fruto de lábios que reconhecem o seu nome. Não negligencie fazer o bem e compartilhar o que você tem, pois tais sacrifícios são agradáveis ​​a Deus. Obedeçam aos seus líderes e submetam-se eles, pois eles velam por vossas almas, como aqueles que terão de prestar contas. Deixe-os fazer isso com alegria e não gemendo, pelo que não seria nenhuma vantagem para você.


Adoração é

Nesse post vemos que adoração inclui:

1. Louvor

2. Proclamação (lábios que confessam seu nome)

3. Serviço (fazer o bem como uma demonstração do evangelho para o mundo)

4. Participação (compartilhar com os outros como uma demonstração de graça ao mundo)

5. Sacrifício (dando do tempo, talento e tesouro)

6. Submissão (respeitando a autoridade divina colocada sobre você, de modo a crescer em sabedoria e santidade)


(*) A palavra em inglês é “continuous outpourers” que significa ser alguém que se joga sobre algo, que se dedica a algo ou alguém sempre. No caso da adoração significa nos voltarmos a Deus ou outra coisa para cultuar e servir.


Fonte: The Resurgence

Tradução: Phelipe

Nenhum comentário:

Postar um comentário